0
0
0
s2sdefault

Mais bonita, moderna e que deverá ser bastante aproveitada pela população, principalmente no período pós-pandemia de Covid-19, além de voltar a ser um dos pontos de visitação na região do Centro Histórico de Salvador. Após obras de revitalização realizadas pela Prefeitura, a Praça Marechal Deodoro, no Comércio, foi entregue nesta segunda-feira (6) com as presenças do prefeito ACM Neto e do vice, Bruno Reis; do titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Luciano Sandes; e da presidente da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), Tânia Scofield, além da imprensa.

O projeto de requalificação é de responsabilidade da FMLF e promoveu melhorias em toda infraestrutura e entorno da praça. As obras foram executadas pela Seinfra, por meio da Superintendência de Obras Públicas (Sucop). O equipamento recebeu intervenções na pavimentação, acessibilidade, estacionamento, pontos de ônibus, mobiliário urbano, paisagismo, restauração de monumentos históricos e construção de quiosques para literatura de cordel e comércio de coco e acarajé.

A intervenção vai da Avenida Jequitaia, passando pela Travessa do Cais do Ouro e Rua Torquato Bahia. Ao todo, os 23.250 m² de área requalificada receberam investimentos públicos municipais de, aproximadamente, R$ 5,2 milhões. As melhorias somam-se a tantas outras e integram o programa Salvador 360, que possui como um dos oito eixos justamente a revitalização da região que é o coração histórico e cultural da capital baiana.

O prefeito ressaltou a transformação da praça após intervenção municipal. “Essa é uma obra que mudou inteiramente a cara da Praça Marechal Deodoro, que é a maior de todo o Centro Histórico e uma das maiores da cidade. Aqui estava tudo destruído, até as baias de ônibus estavam em um péssimo estado, os ambulantes se amontoavam de qualquer jeito. Agora, o ponto de ônibus virou praticamente um terminal, foi feito todo um trabalho de paisagismo, acessibilidade e ordenamento dos ambulantes.”

Ele ainda fez questão de destacar que os recursos foram fruto de financiamento junto à Caixa Econômica. Ou seja, nenhum centavo precisou ser retirado do montante destinado ao enfrentamento à Covid-19 na cidade.

“Tudo pensado com o maior capricho nesse conjunto de investimentos bem amplo que estamos fazendo aqui na região em equipamentos, infraestrutura urbana e ações de valorização. Isso será deixado como um legado para a cidade e com importância reforçada depois da pandemia, no pensamento de como retomar a economia de Salvador, e esses investimentos são muito importantes nesse contexto”, completou ACM Neto.                                                                             

Melhorias

Entre as intervenções está a restauração do Monumento das Nações, mais conhecido como “Monumento das Mãozinhas”. Também foram feitas a implantação de mobiliários urbanos (bancos e lixeiras) e ações de acessibilidade, incluindo construção de pista tátil direcional e de alerta e rampas.

As melhorias englobaram, ainda, troca da iluminação, implantação de faixa de pedestres, novas calçadas com pavimentação adequada, baia na parada de ônibus, ordenamento dos estacionamentos de veículos, guarda-corpo e balizadores. Ações de paisagismo e organização do comércio formal e informal para facilitar a circulação de pedestres completam a intervenção.

Mais ações

Em breve, mais três importantes equipamentos serão entregues completamente requalificados pela Prefeitura na região do Centro Histórico. Um deles é a Praça Cairu, situada entre dois grandes cartões-postais da cidade: o Elevador Lacerda e o Mercado Modelo, com obras praticamente finalizadas. Além disso, também estão bastante avançadas as intervenções na nova Avenida Sete e Praça Castro Alves, assim como a implantação do Polo de Economia Criativa, no Comércio.

Também passam por revitalização os arcos da Ladeira da Montanha; as muralhas do frontispício da cidade, entre a Praça Castro Alves e a Ladeira da Misericórdia; o Elevador do Taboão, no Comércio; a Rua Cônego Pereira, na Baixa de Quintas; e o Mercado São Miguel, na Baixa dos Sapateiros. Estão em processo a transferência de 80% dos órgãos públicos para o Comércio e o incentivo à ocupação habitacional do bairro.

As ações se somam a outras já realizadas, como a recuperação das praças da Sé e Terreiro de Jesus, além da implantação do Quadrilátero das Artes (Barroquinha) e da Casa do Carnaval, no frontispício da Sé. Os investimentos do Salvador 360 no Centro Histórico superam a casa dos R$300 milhões.

0
0
0
s2sdefault