0
0
0
s2sdefault

Os moradores do Engenho Velho da Federação vão ter atendidas, pela Prefeitura, duas demandas ansiadas há bastante tempo. Uma delas já teve início imediato nesta quinta-feira (04), com a assinatura da ordem de serviço, pelo prefeito ACM Neto, para início imediato das obras de reforma de 150 casas em situação precária, localizadas na comunidade conhecida como Baixa da Égua. Na mesma ocasião, foi anunciada a reconstrução da Escola Municipal Engenho Velho da Federação, cujas obras deverão ser iniciadas ainda este ano.

Sobre o Morar Melhor, o prefeito salientou que o programa chegará a 20 mil residências beneficiadas até o fim de 2018, e relembrou como funciona a ação. “A Prefeitura chega ao bairro, conversa com os moradores mais pobres e leva, a partir da demanda apontada pelas famílias, as melhorias para a casa. É o chapisco, o reboco, a pintura, melhora o telhado, o banheiro e, com isso, vai melhorando a qualidade de vida dessas pessoas. Sabemos que o sonho de muitas famílias é reformar a própria casa. No entanto, pela pobreza, não têm condições de economizar recursos para fazer isso com o próprio esforço. Então chega o programa Morar Melhor para realizar esse sonho das pessoas mais pobres de Salvador”.

Impacto

Uma das casas que serviram como modelo da transformação a ser promovida nos demais imóveis pelo Morar Melhor é a de Maria Anunciação Bispo dos Santos, de 69 anos. Ao lado do marido, Antônio, ela vê como uma bênção a reforma da casa, que ganhou pintura e reboco, novo telhado e louças sanitárias. Ao contar a própria história, revelou ter tido uma infância difícil. Casou cedo e teve onze filhos – o mais velho perdeu a vida em um desabamento na casa onde moravam, há quatro décadas. Somente há dois anos passou a frequentar a escola, junto com a neta.

“Aqui nessa casa, quando chovia, era só preocupação. Molhava tudo, o telhado estava podre, quase para cair, deixei de tomar conta de crianças por conta disso. Quando vieram aqui marcar as casas, fiquei com dúvida da ação. Mas depois chegaram para fazer as obras e foi bem rápido. Tô muito feliz. Só tenho a agradecer por esse benefício”, declarou dona Maria.

A vizinha Valdenice Latão, de 34 anos, também era só satisfação com a iniciativa, que vai melhorar a casa dela. “Desde a infância, nunca acreditei em promessas, achava que só beneficiavam quem era do esquema deles. Com o Morar Melhor, vi que quem é merecedor está recebendo a ação. Isso é super importante”, afirmou.

Andamento

Esta é a segunda etapa do programa, que teve início em dezembro do ano passado. Cerca de 4,5 mil casas estão sendo beneficiadas nesta fase. Todas as obras são fiscalizadas durante a execução e após a conclusão. O programa pretende resgatar a cidadania e a autoestima da população residente nas áreas contempladas, promovendo também assistência técnica nas áreas de Arquitetura e Construção Civil, oferece moradia digna às pessoas e dá oportunidade de trabalho para moradores que já atuam como pedreiro e auxiliar de pedreiro.

A escolha dos bairros beneficiados obedece a alguns critérios sociais: são escolhidos, prioritariamente, os que têm maior predominância de domicílios com alvenaria sem revestimento; maior número de pessoas abaixo da linha de pobreza; maior densidade habitacional; maior quantidade de mulheres chefes de famílias, além da precariedade habitacional característica observada pelas equipes em campo. A definição dos serviços é feita em conjunto com o morador, observando também critérios técnicos.

Balanço

Desde 2015, o Morar Melhor já reformou casas em mais de 50 bairros de Salvador, e a meta é chegar à marca de 40 mil residências até o fim de 2020. Devido ao grande sucesso no quesito boas práticas em habitação, o programa recebeu o Selo do Mérito Especial no Fórum Nacional de Habitação e Interesse Social, em 2017. A honraria foi concedida pela Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos e pelo Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano.

0
0
0
s2sdefault