0
0
0
s2sdefault

Intervenção faz parte de conjunto de ações que visam estimular a "ocupação" do Centro Antigo

 

Como parte de um conjunto de ações de requalificação do Centro Antigo, o prefeito ACM Neto assinou, na manhã desta sexta-feira (31), a ordem de serviço para início imediato das obras de revitalização do Terreiro de Jesus, no Centro Histórico de Salvador. A solenidade contou com a presença do vice-prefeito Bruno Reis, do secretário de Infraestrutura e Obras Públicas, Almir Melo, do secretário de Cultura e Turismo, Cláudio Tinoco, da presidente da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), Tânia Scofield, e do presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, dentre outras autoridades.

O Terreiro de Jesus, que é uma das mais importantes praças do Brasil, será totalmente requalificada com obras de pavimentação, recuperação dos canteiros, arborização e recuperação da fonte. A via do entorno também será beneficiada com a recolocação dos paralelepípedos. A proposta é reconstituir o piso da praça em pedras portuguesas, mantendo o desenho original, ampliar a presença das árvores laterais, recuperar a estrutura da fonte que abriga a estátua da deusa romana Ceres (agricultura), além de promover mudanças na iluminação, substituindo as atuais luminárias por lâmpadas de LED mais econômicas.

“A requalificação vai preservar toda a característica histórica do Terreiro de Jesus, mas trará modernidade, mais beleza e mais brilho para essa que é uma das praças mais importante de Salvador. Temos aqui um momento muito bacana no Centro Histórico porque a Prefeitura está fazendo vários investimentos, que coincidem também com a conclusão da Catedral, que será inaugurada em setembro”, afirmou ACM Neto.

O prefeito ressaltou também a importância da obra para a movimentação da economia: “Temos uma perspectiva para os próximos dois anos de uma transformação urbanística nunca antes vista no Centro Histórico de Salvador e eu tenho certeza que essa iniciativa trará impacto fundamental de aumento do fluxo do turismo na capital baiana, gerando mais empregos e movimentando a nossa economia”.

Outras ações

Orçada em R$ 1,4 milhão, e com um prazo de quatro meses para a conclusão, a intervenção no Terreiro de Jesus faz parte de um conjunto de ações e obras, projetadas, em andamento ou já concluídas, para requalificar todo o Centro Antigo, e que contam com um investimento de R$ 200 milhões, dentro do programa Salvador 360. Fazem parte desse conjunto de iniciativas da Prefeitura a requalificação da Avenida Sete de Setembro e das praças Castro Alves e Cairu, que em breve terão ordem de serviço assinadas. No Comércio, a revitalização da Rua Miguel Calmon já esta em fase inicial e as obras na Praça da Inglaterra seguem aceleradas. 

Além de obras, a Prefeitura tem investindo também em equipamentos e atrações culturais para fomentar que mais pessoas circulem pelo no Centro Antigo o ano inteiro, a exemplo da Casa do Carnaval e do projeto Pelourinho Dia e Noite. Além disso, a gestão municipal tem atuado para estimular a ocupação e a geração de empregos na região, a exemplo da implantação do Hub Salvador e do projeto de levar órgãos públicos municipais para a região do Comércio, que já começa a se concretizar este ano. 

História

O projeto da reforma foi concebido pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), com base em trabalho do paisagista Roberto Burle Marx, de 1952, e consiste na manutenção do traçado da estrutura, com a devida atualização aos modernos elementos de acessibilidade.

A praça mede 80 metros de cumprimento por 33 de largura e passará por atualizações para tornar o local harmônico com o entorno, que é composto por casario e igrejas coloniais, todos tombados pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O Terreiro de Jesus é a única praça do Brasil que conta com um projeto arquitetônico composto por quatro igrejas seculares, além da primeira Faculdade de Medicina do país. A fonte do Terreiro de Jesus foi interligada ao primeiro sistema de abastecimento de água do Brasil, o Sistema do Queimado. Ela traz a escultura de quatro mulheres que representam os rios baianos São Francisco, Paraguaçu, Jequitinhonha e Pardo.  

0
0
0
s2sdefault